busca

Home

Câmara Hiperbárica

Pioneirismo do H9J - Câmara Hiperbárica
Desde 1994 em atividade dentro do H9J, a Clínica de Medicina Hiperbárica é operada por médicos hiperbaristas formados pela USP. O Serviço, localizado no 6º. andar da Ala D atendeu desde então mais de 20.000 pacientes internados, ambulatoriais e também provenientes de vários hospitais da cidade de São Paulo para submete-los a tratamento.

A Clínica de Medicina Hiperbárica do H9J possui o “Selo de Qualidade” outorgado pela Sociedade Brasileira de Medicina Hiperbárica a mais importante garantia da alta qualidade da equipe médica e de enfermagem assim como dos procedimentos.

O que é, e como funciona?
É um equipamento médico de acrílico transparente, totalmente fechado no qual se insufla oxigênio puro (O2 a 100%) para atingir uma pressão acima da pressão ambiente. O paciente permanece deitado em repouso respirando normalmente enquanto oxigênio em grande quantidade vai se dissolvendo no sangue sendo levado pela circulação a todo o corpo, e principalmente aos locais mal oxigenados.

As sessões que duram de 90 a 120 minutos, são realizadas diariamente até que se complete o tratamento. O número total de sessões varia de 15 a 40 dependendo da gravidade do caso e da resposta do paciente. 

A Clínica de Medicina Hiperbárica do H9J conta com três câmaras hiperbáricas americanas da marca Sechrist modelo 2500, que cumprem todos os requisitos de segurança e qualidade para os tratamentos hiperbáricos.

Por que algumas feridas não cicatrizam?
Sempre que há uma lesão no corpo, desencadeia-se uma reação que promove a cicatrização, recompondo o tecido em período aproximado de um mês. Entretanto para que essa programação se cumpra é necessário que o tecido disponha de oxigênio suficiente para garantir o funcionamento das células. Quando não há oxigênio, surgem as “feridas que não cicatrizam” que além de não fecharem acabam se infeccionando porque perdem as defesas contra as bactérias.

As lesões que eventualmente se transformam em feridas que não cicatrizam podem ser crônicas (como úlceras de membros inferiores, pés diabéticos ou úlceras de pressão de pacientes acamados) ou agudas (como complicações de cirurgias, queimaduras, traumas extensos). Nesses casos, realizam-se as sessões de tratamento na câmara hiperbárica com o que progressivamente é fornecida a oxigenação necessária aos tecidos em sofrimento e restaura-se a capacidade de cicatrizar as feridas e de combater as infecções.

Indicações
Esse tratamento está regulamentado no Brasil pelo Conselho Federal de Medicina desde 1995, sendo indicado para aplicação em acidentes de mergulho, intoxicação por gases venenosos, feridas que não cicatrizam de todos os tipos, osteomielites, infecções de partes moles, lesões provocadas por radioterapia, complicações pós operatórias entre outras.

É classificado como um tratamento adjuvante, ou seja, deve ser realizado em conjunto com as demais medidas terapêuticas tais como antibióticos, curativos, limpezas e desbridamentos cirúrgicos quando indicados. Porém, sempre que se acrescenta o oxigênio hiperbárico, normalizando a oxigenação dos tecidos, as infecções são controladas e as cicatrizes se formam muito mais rapidamente, levando a grande economia de medicamentos, de tempo de internação além de resultados estéticos muito melhores. Em estudo comparativo, (Oriani 1995) foi demonstrado que em pacientes diabéticos portadores de úlceras nos pés (pés diabéticos) a necessidade de amputações caiu de 33% para 8% quando se acrescentou oxigênio hiperbárico ao tratamento.

Devido aos benefícios evidenciados pelo tratamento hiperbárico, sem acrescentar custos, a Agencia Nacional de Saúde (ANS) incorporou essa terapêutica no seu rol de procedimentos mínimos obrigatórios a partir de 2011. Porém mesmo antes disso, a maioria dos planos de saúde já vinham disponibilizando o tratamento por concordarem com os benefícios e as vantagens apontadas.

Equipe médica e atendimento
Os médicos responsáveis pela Clínica de Medicina Hiperbárica do H9J são intensivistas, capacitados em Medicina Hiperbárica pela USP, com possibilidade de atendimento de pacientes agendados ou até de casos de urgência durante 24 horas se for necessário. Podem ser atendidos pacientes crônicos de baixa complexidade assim como pacientes agudos e graves, mesmo em choque ou sob assistência ventilatória contínua.

Os médicos hiperbaristas realizam a avaliação dos casos indicados, discutem o plano terapêutico com o médico responsável e acompanham o paciente durante todo o atendimento.

Rua Peixoto Gomide, 625 - Fone: (11) 3147-9999
Cerqueira César - São Paulo - SP - CEP 01409-902
Hospital 9 de Julho | Copyright 2014. Todos os direitos reservados.